As últimas semanas foram agitadas no universo do SEO. Algumas novidades e atualizações significativas no algoritmo do Google fizeram muitos profissionais de SEO reverem suas estratégias. Mas será que foi tudo isso mesmo?

Antes de começarmos, gostaria de dar-lhes as boas vindas ao primeiro artigo da série “Hedgehog SEO News”. Toda semana traremos as principais notícias do mundo do SEO selecionadas por nossa SEO Expert Aline Matos junto da minha interpretação de cada uma delas. – Bazon

Portanto, sem muitas delongas vamos as últimas notícias de SEO.

Nofollow agora terá valor?

Uma das mudanças que deu o que falar foi a mudança na tag nofollow. Na verdade, a partir de março de 2020 o nofollow passará a ter valor.

A tag ainda será uma forma de sinalizar ao Google que o site não deseja passar sua autoridade, mas será tratado como uma dica (hint em inglês). Essa mudança contribui para sinalizar a classificação do link (o que antes não acontecia) e melhorar os resultados das pesquisas. 

Mas não para por aí, outras tags foram acrescentadas para ajudar o Google a classificar esse tipo de link. Conteúdos gerados pelos usuários, como comentários em posts, devem ser marcados com a tag UGC. Já os links de carácter publicitário (anúncios, publieditorial…) devem utilizar a tag Sponsored.

Também será possível incluir mais de uma tag no mesmo link. Se você quiser indicar que o conteúdo foi produzido por um usuário e é de caráter publicitário, basta acrescentar “rel=ugc sponsored”. 

Muitos se perguntaram se terão que alterar os links nofollow que já existem – principalmente para sinalizar os conteúdos publicitários -, mas o Google disse que não será necessário alterar os links que já possui. 

Com essas tags (Nofollow, UGC e Sponsored) o algoritmo irá analisar melhor esses links ao invés de ignorá-los. 

Opinião do Bazon

“Uma das mudanças mais significativas em link building desde o filtro Penguin foi incorporado ao core to algoritmo de classificação orgânica. Ao meu ver algumas estratégias de link building que estavam morrendo podem voltar a ganhar importância, como Guest Blogging por exemplo. 

Com a tag “UGC” blogs poderão utiliza-la para apontar links de guest posts. Já tag sponsored será uma maneira de deixar ainda mais claro que o conteúdo é um publieditorial ou um advertorial, nesse caso uma maneira de ajudar o algoritmo a entender melhor esse tipo de conteúdo que hoje ainda acaba passando sem ser detectado.

Em suma, vamos ter que esperar para ver como esse “hint” influenciará no posicionamento orgânico.”

Adeus ao velho Search Console 

Uma nova versão do Search Console foi criada e o processo de migração está em andamento, porém algumas mudanças significativas já aconteceram. Houve até uma imagem com a equipe e o antigo Search Console em segundo plano, publicado no blog oficial do Google. Um tributo para se despedir dos relatórios antigos, da página inicial e do painel. 

  • Painel antigo do Search Console

painel antigo do Google Search Console

Fonte da Imagem: https://webmasters.googleblog.com/2019/09/goodbye-old-search-console.html

  • Novo painel  do Search Console

novo painel Google Search Console

Fonte da Imagem: hedgehogdigital.co.uk/br

Além dessas mudanças, em comparação a versão anterior, o novo Search Console apresenta um novo relatório com 16 meses de dados. Ele permite acessar informações detalhadas de depuração e uma solicitação de um clique para rastrear problemas corrigidos.

É possível também  combinar relatórios de backlinks e links internos com o número de contagem mais confiável. A nova versão também facilitou o seu acesso através de dispositivos móveis.

Opinião do Bazon

“Eu particularmente levei um bom tempo para me acostumar ao novo Google Search Console. tanto que ainda chamo de Google Webmaster Tools. Mas hoje já não sinto tanta falta do antigo e a tendência é que ferramentas ainda mais robustas sejam adicionadas nos próximos meses”

Atualização no esquema de reviews (Rich Snippets)

O Google também decidiu introduzir atualizações no algoritmo para os resultados com revisões (as famosas estrelinhas que aparecem nas pesquisas da SERP). As boas práticas orientam não utilizar plugins de terceiros para mostrar as avaliações no seu site.

As avaliações manuais ou por meio de um widget de terceiros não serão mais favorecidos pelo Google. Os reviews que irão aparecer de fato na SERP são aqueles em que o usuário fez a avaliação direto dentro do site. 

Nos dados estruturados do site, as informações precisam estar alinhadas e organizadas com a categoria  do seu serviço ou produto. A propriedade “name” dentro do código, deve ser identificada, ou seja, o nome do item avaliado precisa estar especificado.

Em outras palavras, dentro dos dados estruturados da página, se avaliação trata-se de um produto X, o nome do produto X deve estar claramente identificado na propriedade “name”. Se for um curso Y, o nome do curso Y deve ser identificado da mesma forma. 

De acordo com o Google esses são os esquemas de reviews permitidos:

Porém, segundo o Google, você não precisa remover as avaliações de terceiros do LocalBusiness ou Organization (quando a própria marca controla suas próprias avaliações). A Pesquisa do Google apenas não exibirá mais snippets de revisão para essas páginas.

Opinião do Bazon

“Mais uma ação do Google para acabar com o spam nos dados estruturados de avaliações e comentários. Basicamente, a penalização manual por manipulação de implementação das avaliações e comentários, acabou a mamata de incluir 5/5 estrelas e 5.000 comentários em artigos sem provar que são reais.

Do ponto de vista técnico é primordial revisar a implementação dos dados estruturados e garantir que a tag name está implementada e designando o que está sendo avaliado. A lista acima precisa ser respeitado, pois avaliações e comentários em tipos páginas que não estão listadas não serão mais aceitas.

Uma coisa que não ficou claro para mim é se avaliações de empresas como Yourviews e Optiniões Verdadeiras serão desconsideradas.”

Título de pesquisa reduzido?

Muitas pessoas observaram que o tamanho do snippet de título caiu de uma média de 60 para 55 caracteres. Mordy Oberstein, do RankRanger, postou em seu  Twitter um gráfico atualizado de sua ferramenta de rastreamento mostrando sinais dessa atualização. Ainda segundo Mordy, a atualização não atingiu o mobile.

Opinião do Bazon

“Lá vamos nós outra vez, só que dessa vez no tamanho dos títulos e no desktop. Primeiro, não saiam mudando seus títulos porque sabemos que isso pode ser apenas um teste e ainda não há confirmação da parte do Google.

Segundo, o Googlebot agora é mobile first, ou seja, só analisa a versão mobile de uma página. Portanto, o que conta é o tamanho dos títulso no mobile”

Isso foi um pouco do que rolou nas últimas semanas. Todos os dias o Google faz algum tipo de alteração, por isso é importante estarmos ligados nas novidades ou qualquer mudança que aparecer nos resultados dos clientes. Você já notou alguma mudança? Conta para a gente nos comentários ou compartilhe com  #HHDSEONEWS. 

Esse foi só primeiro de muitos artigos aqui no nosso blog. Fique ligado que vem muita coisa interessante por ai e envie suas sugestões, estamos sempre em busca de melhorias e seu feedback é muito importante para nós.